azlyrics.biz
a b c d e f g h i j k l m n o p q r s t u v w x y z 0 1 2 3 4 5 6 7 8 9 #

50g – palavras sativas lyrics

Loading...

[intro]
50g, 80conto produções, canela fina crew 2013, é nóis

[refrão: melk, maumau]
palavras sativas, versos estranhos
que -ssombram tantas vidas, são várias vidas
palavras sativas, versos estranhos
que -ssombram tantas vidas, são várias vidas
pra nocautear, pra nocautear
vai fortaleza manda um salve por preza
pra nocautear, pra nocautear
vai fortaleza manda um salve por preza

[verso 1: bocão]
é fogo nos falante, o gorila ficou sem dedo
culpa dos moleques abusado que chegaram mais cedo
da sessão de descarrego com a língua mordida
atravessado no dorflex e vodka colorida
sera que deve ser como a roda roda
atenção na desossa no corte que te degola
chuva forte caindo lá fora
p-ssarinhos cantam ao sinal da aurora

[verso 2: melk]
ei bandida vem trazer meu cogumelo
pra nóis tira um castelo na baia do donatello
quebra no espelho manja, esbanja várias ganja
dança na brasa, goza, vendo a ninfeta transar

[verso 3: bocão]
são coisas da vida, madrugas esclarecedoras
-ssombradas por bruxas más trepadas em suas v-ssouras
as mães protetoras sabem dos filhos que abusa
e reza pra que ele volte antes do canto da coruja
que o galo não trampa mais, conheceu a gandaia
foi tromba a marilou de salto alto e mini saia
na beira da praia, eu pude entender

[refrão: melk, maumau]
palavras sativas, versos estranhos
que -ssombram tantas vidas, são várias vidas
palavras sativas, versos estranhos
que -ssombram tantas vidas, são várias vidas
pra nocautear, pra nocautear
vai fortaleza manda um salve por preza
pra nocautear, pra nocautear
vai fortaleza manda um salve por preza

[verso 4: melk]
tá malu, é versos cru, dj samu, sem estranhar
bafo de angu, sem ‘blublublu’ sem blábláblá’ sem despencar
revido o grito na bic, no clique da casa chique
hilux arranca do chip, com o chapa no piquenique
velho do porto porta, o mestre tem pra cortar
estranha vida portar, os corpos as mechas cortar
roubando brisa desliza, insetos no para-brisa

[verso 5: bocão]
liberte-se do sangue-suga na selva de mármore
a trepadeira é linda, mas pra viver condena a árvore
direto de marte a ajuda estava a caminho
se -ssustaram com o pedágio, correram de volta pro ninho
com medo sozinho, qualquer bicho fica feroz
esqueceram os moleques doido agora segura nóis
seguindo a rota, sem bússola na trajetória
em meu ao mal isto é se afogar
não é por jóia, muito menos por diamante ou prata
nos mares mais um pirata
em busca da carta não encontrada dentro da garrafa
mas a caminhada nunca para e nóis dispara como um trem bala
sofrimento tem de monte mas não se abala
e com o tempo a vida se transforma em palavras

[refrão]
[refrão: melk, maumau]
palavras sativas, versos estranhos
que -ssombram tantas vidas, são várias vidas
palavras sativas, versos estranhos
que -ssombram tantas vidas, são várias vidas
pra nocautear, pra nocautear
vai fortaleza manda um salve por preza
pra nocautear, pra nocautear
vai fortaleza manda um salve por preza

[outro]
alô, tem como mandar uma coca grande e 4 x-bactéria
aqui no studio do j-ponês, tá bom, muito obrigado