azlyrics.biz
a b c d e f g h i j k l m n o p q r s t u v w x y z 0 1 2 3 4 5 6 7 8 9 #

hδku – solve; et coagula. lyrics

Loading...

risco um fósforo e jogo sobre a poça de gasolina
queimo pontes e transformo o próspero em ruína
das chamas sobem centelhas, que iluminam a neblina
e do pó, espero e sopro a vida nessas colinas

nascido dessas latrinas, regido à anarquia
grandes castelos construídos sobre fuligem e cinzas
tão polidos que reluziam, devido a dita sabedoria
mais um ciclo que jazia, vamos a demolição do dia

alvorada, novo céu, novo sol, novo brilhar
nuvens são como supernovas que renovam o meu olhar
alvo errado, novo eu, nova estrada para novos p-ssos
no chão frio que toca os pés, um tropeço é um abraço

o começo de um novo ato, pegue a cortina do teatro
taque fogo e faça dela um cobertor ou agasalho
mastigue o prato de vidro e vomite os pedaços
na forma de um lindo vaso de porcelana e aço

faço um punhado de ouro de um punhado de chumbo
caminho pelos túmulos, cadê a tumba de flamel
e eu não sou um vagabundo, eu só sou um vagamundo
pra minha sorte e seu revés me mantenho um revel (2x)

re-escrevendo o meu próprio epitáfio a cada segundo que p-ssa
formado por hieroglifos, runas, papiros e letras em m-ssa
cresço de dentro da tal carapaça, transbordando meu ectoplasma
tatuado em cada antebraço, dissolva e construa, solve et coagula

me inspiro do último suspiro e respiro de verdade
no giro dessa espiral que viro uma deidade
na cadência do espírito são mais sílabas que idade
sou a soma das minhas personas, sequência de fibonacci

e as sentenças dessa vida, termino com um ponto e vírgula
auto antropof-gia que estala a minha mandíbula
reviro as minhas vísceras, separo o joio do trigo
abrigo é transm-tação, dogmas são seus inimigos

como o sal do oceano no navio de teseu
pra cada parte que apodrece na tese de quem sou eu
navegante dessa vida numa pele de cordeiro
almejo o lobo, mas sou outro eterno forasteiro

faço um punhado de ouro de um punhado de chumbo
caminho pelos túmulos, cadê a tumba de flamel
e eu não sou um vagabundo, eu só sou um vagamundo
pra minha sorte e seu revés me mantenho um revel (x2)

ande sobre os cascos do dragão que digere a própria calda
aproveite do presente que ele te oferece
cada muda de pele te emanc-p- e exalta tua própria alma
cada rugido do dragão uma diferente prece