azlyrics.biz
a b c d e f g h i j k l m n o p q r s t u v w x y z 0 1 2 3 4 5 6 7 8 9 #

kali mc – matilha lyrics

Loading...

[kali]

quem trama não brinca, trema. com a tropa que trapo toma
disparo, não piro, paro. sem pena, é só hematoma
isso é conteúdo bélico,em rimas que deixam em coma
precisas como arremessos de kevin em oklahoma!

e eu convoco meu bonde sim, “tá” formado o dream team
é swing underground, não swag mainstream
é o crime, não é o creme, nos graves que o piso treme
sem prêmio e sem pressa, se quisesse eu levava o grammy

eu tô trampando até a tampa, sem pranto pra ficar a pampa
pra nego falar “que louco”, minha linha de soco te espanca
segura, abaixa a bronca, agora respeita minha banca
la mafia cubana, me chame de tony montana

eu remo enquanto rimo, no leme, sei que não limo
a sina da seita é fazer a cena soar o sino
tranquilo, ‘de boa’. né que a concorrência tá fraca
mas nessas linhas bem fino cerol corta que nem faca!

[fbc]

deu hora, bora pro rush, que time é cash
tremeu no game é lona, no mínimo trash
soleira do slash, toma apet-te de doberman
mexe, que eu tô pesado nas barras igual coleman

burnout adoeceu teus heróis, naut sem jugger
chora, fodas seus fakes, sou gangster burger
rapidão que nem laser, bem vindos a h-llraiser
beijo o tatame e não me chame de joe frazier

me chame de roco, fudendo igual louco
chapando seu côco, fritante a cada linha de soco
no flow caça níquel, valioso igual pringles
jingles, e hits embalam as teen girls

tamo pra reagir, só apanhar já deu
é pra nós resumir, não pra fazer liceu
nós quer usufruir, os linha entendeu
chegou a hora, os novatos podem gritar “fudeu”!

[refrão]

me diga quantos são, quantos vêm
quantos não vão,chegar bem, ir além
dominar o bom som

picadilha, função
na matilha, junção
visão, diferencia quem tá no game…

[thaik]

convocado, eu tô em companhia ótima sigo atrás da insígnia
significante fator pra uma vida digna
visão além da ótica, quebrando paradigma
questione pelo dogma, decifre o enigma

desde que pus série nas tracks, pediram mais raps
playbacks, provem do veneno de seus big mac’s
com uma bic escreve, se me entende então eu vim ser breve
é planta mais que fritação miséria ou greve

e eu que tropecei na pista, pra ver que é sinistra
quase entrei pra lista de mc frac-ssado cheio de conquista
sou estremista com esses estrelistas
que só comem banco de reserva e exige entrevista em zona mista

tipo wiki l!cks, rap best trick
vendo os fakes se achando os melh0r-s como a tecpix
com seus takes de internet, hip-hop não resume a cliques
bem vindo a babilônia, tente sair da matrix

[well]

é o pane dos paralelo… o terror dos acomodados
é sorriso amarelo dos que haviam duvidado
da nossa acensão na cena problema de quem não curte
sem lero nas linha feita é o efeito que isso surte

em pauta o plano do time: constatar o atropelo
de quem defeca pela boca e conversa com o cotovelo
rapper’s de proveta sem know how pra disputa
com flow zoado é mais forçado que -rg-smo de puta

sem dó esmago nas base, os poser não “guenta” o tranco
treme igual gelatina em costa de camelo manco
encaixa as rima no beat parecem jabs de jones
esse é o well skywalker contra o império de clones

pra melhora os nossos
sair dos destroços
quebrando ossos vertebrais com a matilha na caça
pedrada na vidraça, acabando com a farsa
“cês” vão ver que é bem mais feio apanhar quando se caça