azlyrics.biz
a b c d e f g h i j k l m n o p q r s t u v w x y z 0 1 2 3 4 5 6 7 8 9 #

mk nocivo – a culpa é nossa lyrics

Loading...

m’cirilo:
como se não bast-sse dominar o caos
a desordem é palavra de ordem para o cidadão
para quê sacrificar, se isto nunca vai mudar, já nem pão dá para ganhar
vigário não é suspeito, esse nunca dá o peito, já nem por si tem respeito
para quê sacrificar se isto nunca vai mudar

buli 2b:
armadilha aprisionam a ti e tua família
cresce a fila, cabeças à espera da guilhotina
casas sem pão, arma na mão do irmão
desespero o governo, te põe nessa situação

democracia se perdeu, com tanta hipocrisia
iludindo o povo, com truques de magia
fazem sumir milhões, fazem sumir empresas
enchendo várias casas, e caras com muita tristeza

economia fazemos nós, contando cada cêntimo
precisa de voz, para chegar ao parlamento
então vai vendo p-ssar o tempo eu não entendo
muitos reclamam para carai, mas não dão o real exemplo

vejo que você, acreditava na mudança
muitos estão cansados, de viver só de esperança
entro novo saio velho, cheio de promessa
necessitamos de acções, não apenas de conversa

lazy:
saio à rua e vejo o mesmo de sempre
caras diferentes mas os traços que as definem são semelhantes a tanta gente
perdidos numa rotina, casa trabalho, trabalho casa
tornando-se alheios ao que se p-ssa em volta

e vão vivendo, cada um com o seu umbigo
mas digo-te, um povo vencido jamais será unido
somos filhos da culpa, rebentos da apatia
somos fetos de uma ditadura, disfarçada de democracia

emigração p-ssa a única opção
sem hesitação, partir à descoberta de outra condição
fazer das tripas coração, dá-te a sensação
da injustiça e da cobiça da tua nação
agora, tens de ir embora leva esta memória guarda-a no bolso
leva esta historia como forma de encarar mundo novo
ou então fica e amarra a corda ao pescoço
e na carta de despedida, põe a culpa no teu povo

mk nocivo:
governo é uma farsa, é só um grupo de cínicos
não ataca problemas, só adversários políticos
com aumentos constantes, para além da tua imaginação
num país onde tudo sobe, só os ordenados é que não

aumenta o preço da saúde, a inflação também dispara
até a electricidade, que a cada dia está mais cara
crise e cortes nas pensões, mais impostos a subir
o estado a encher os bolsos, e a nossa gente anda a pedir

fazer tudo para não, chegar ao fim do mês liso
e aqui é que se vê, um outro tipo de improviso
por um ministro guloso, com deputados ambiciosos
um presidente vergonhoso, querem piores criminosos?

mas a culpa é nossa, nós demos-lhe poderes demais
povo sofre de alzheimer, durante campanhas eleitorais
eles vivem como sultões, enquanto contamos tostões
porque cedemos a mentiras, em altura de eleições

né (b-27):
o que o salazar fez, agora por todos criticado
mas segurou o tesouro, que agora esbanjado vejo
o meu país hipotecado, a essas vacas gordas
o meu país jamais parece, um pasto de vacas loucas

o povo não reclama, transformados em zombies
só reclamam e perdem tempo, agarrados a telemóveis
eis as leis que vais seguir boneco
dão-te a corda e duas palas, e o programa certo

da tv hipnotizados, com violência e futebol
só dá rambos que não enfrentam, a bófia por portugal
bancários, empresários, desmarcam em offshores
a riqueza lusitana, e o suor dos trabalhadores

até perco a conta, às contas que conto pagar
luto pela vida digna, mas começo a flipar
não consigo acreditar, morrerei pobre
mas com o sonho de empunhar, um c-cktail molotov