azlyrics.biz
a b c d e f g h i j k l m n o p q r s t u v w x y z 0 1 2 3 4 5 6 7 8 9 #

3030 – o berço lyrics

Loading...

[refrão: lk]
eu sou rio de janeiro, cria desse berço
onde a maldade da rua encontra a brisa do mar
rio de janeiro, sente o rap em peso
onde a musicalidade se respira no ar
sou rio de janeiro, cria desse berço
onde a maldade da rua encontra a brisa do mar
rio de janeiro, rio de janeiro, rio de janeiro

[verso 1: rod]
balas perdidas não me achem no bairro que ando
ruas escuras clima tenso e a sorte guiando
sentido o cheiro do mar, aspirando a revolução
sentindo o peso do ar, respirando a poluição
veneno quem não porta vai ser aniquilado
ou tu ganha esse jogo no grito ou vai morrer calado
cês querem s-xo elas querem bens
grana, mas quem tem droga tem os dois também
vários maluco novo aí carregam em si o bem e o mal
com objetivo de chegar no topo seja por bem ou por mal
conteudista gás letal, polícia que atua de forma imoral

[lk]
com noção da crueldade
eu to pr-nto pra vingança

[rod]
toma esse rap de efeito moral
aprendi a lição nas ruas daqui que são
metade lazer metade perdição
cidade sem lei melhor ter munição
e tá pr-nto pra guerra
a maldade não vive em nós
e nós que vivemos dela

[refrão – lk]

[verso 2 – lk]
terra da grana da rua e da fama
do topo e vitrine do poço e da lama
da vida do crime que é fácil e te chama
de um que levanta tem vinte que tombam
o excesso de simpatia é um mal sinal bondade engana
o som é novo alguns não entendem o timbre
mas vão ter que ouvir

então, vejo no peso irmão (de cada sessão)
que os moleques que vem daqui
com as musicas nas veias, de chico à jobim
funk no morro viola na pista, vão vão (dominar facin)
estilo a bossa nova do rap, eu vim terrorista
da malandragem extinta, das ruas famintas
perto de explodir com a bomba
numa das mãos a outra conta, pra cobrar geral, ta pr-nta
quem cuspiu no rap vai pagar, de onde eu vim o que vale é honra
vacilou na área vai pagar, os pureza se conta no dedo
os que não forem eu sei que vão pagar
o tempo cuida de cada um, mas nós temo algo em comum
não tem jeito, até o fim, to ligado

[refrão]