azlyrics.biz
a b c d e f g h i j k l m n o p q r s t u v w x y z 0 1 2 3 4 5 6 7 8 9 #

5-30 – a dúvida lyrics

Loading...

[verso 1: sam the kid]
ela comenta, lamenta e quer que eu a guarde
enquanto lentamente a saudade aumenta no quarto
e ela emenda, dá-me uma agenda e quer que eu aguarde
mas se eu me prendo, pode ser que me arrependa mais tarde
ou aprendo a gostar
ou tentamos ‘tar mais tempo a apostar na gente
ou sou exigente ou dou-te um filho b-st-rdo
mas eu sou mais, tarde no estúdio a investir
no meu futuro estúpido pa’ existir e ser diligente
e eu adoro que tu me adores, sem lençol no teu corpo
até fechar os estores ao meu sol que vem da minha ponte
o risco da amargura: pôr toda a ternura em confronto
e ver-te numa moldura, e para a ruptura, ainda não ‘tar pr-nto
porque eu não sei se tu me gramas, mas sei que tens capas
mas se for o caso, põe só essas gramas em capas
dama, eu sei que sou azedo e retrocedo no fim
eu não cedo -ssim tão cedo, tenho sido sempre -ssim
existe o medo que ela desista
e eu ficar o gajo chato que ela fala à sua nova conquista
que “os homens são uma merda” é o discurso que espalha
e nós só queremos que não nos caia uma dama “toscaia”
(que nos…)
distraia e mais tarde nos traia
que eu saia da saia da mãe e regresse com a tralha
agora é difícil encontrar alguém que me vicie
ficar calmíssimo até à calvície e tu grisalha
não foram precisos nós, entre nós havia um laço
até que algum de nós o viol-sse
e agora tentas, mas não podes tirar o que p-ssámos um dia
saudades das fotos que nós nunca tirámos e eu queria
e eu dispenso a desavença e perdemos a cabeça
e cada sentença vai sentir-se, a ver se eu diria
“queres um amigo ou um boy que te acompanhe?”
“queres estar comigo ou queres estar com alguém?”
há uma diferença, avalia e pensa

[refrão: carlão]
a dúvida cai (cai), como chuva grossa
o ânimo vai (vai), mergulha numa poça
a minha esperança (a minha esperança)
trava na insegurança

[verso 2: carlão]
eu podia ser o teu melhor amigo
aquele amante atencioso, o teu segundo umbigo
o ombro que consola
o companheiro atento que nem sequer liga a consola
e eu sou quase tudo isso, quase
mas só e apenas quase, numa frase
eu tenho sido antes o amigo ausente
aquele amante indigente, por isso eu vou
ser o ombro que te falha
surdo interlocutor, que só responde palha
quando calha, fingindo ter ouvido
no meio dos três, encontras-me perdido
partido, desfeito, em quase nada
um dia tens uma surpresa inesperada (acredita…)
vou p-ssar à próxima fase
não te minto quando digo que sinto que estou quase (acredita…)

[refrão: carlão]
a dúvida cai (cai), como chuva grossa
o ânimo vai (vai), mergulha numa poça
a minha esperança (a minha esperança)
trava na insegurança

[solo de guitarra]