azlyrics.biz
a b c d e f g h i j k l m n o p q r s t u v w x y z 0 1 2 3 4 5 6 7 8 9 #

808 luke – sem título 2 lyrics

Loading...

[verso 1: dudz]
eu sou o mais novo jovem rico de rolê no jet
fazendo grana pra caralho, obrigado rouanet
cês tão pagando minhas contas e meu cigarette
no meu lugar toda manhã, batendo ponto às sete
até a magia se acabou nessas porra de meme
depois que o bruxo rasgo a pele e vestiu a dezessete
parcero, tu tá mais usando essa porra, que vende
sintético, em festa de rico, se achando scarface

[refrão: dudz]
minha alma nunca é plena
mentira se eu disser que ela ta plena
se por dentro queima, queima
um corpo frágil atrás da peita
espirito rejeita a vida oferecida
e um coração que teima
minha alma nunca é plena
mentira se eu disser que ela ta plena
se por dentro queima, queima
um corpo frágil atrás da peita
espirito rejeita a vida oferecida
e um coração que teima

[verso 2: matheus coringa]
é que nós é anti+herói e eu roubo dos boy
metade do jogo, é, a verdade dói
não tô falando de dinheiro, é de atitude
eles comem as mulher dormindo, cultura do lucro
ou o que dê mais hype, depois eu me explico
se eu for branquito, é só dizer que é liberdade de expressão
que os cara têm mais seguidor que a porra dos migos
se o hip+hop não cobra, quem sou eu no conflito?
odiado por fazer merda e não ser muito lindo
só ajo com inteligência, respeito todas as tribos
algumas não me respeitam, mas aí não é comigo
só faço minha parte, admito, sempre bem feito
eu só faço minha arte, engenheiro dessas belas letras
derrubo pra construir em quarenta segundos
ou um poquito mais, mas sem conta
eu rimo discretamente e travo sua página

[ponte: dudz]
minha alma nunca é plena
mentira se eu disser que ela ta plena
se por dentro queima, queima
um corpo frágil atrás da peita
espírito rejeita a vida oferecida

[verso 3: peagá]
esses bagulho de rap é uma falsidade
os cara finge que não sabe, eu finjo que não sei
coringa fazendo média, quer tocar na minha cidade
manda falar pro luke que esse beat eu não gostei
um salve pros trinta fãs que amam de verdade
as vezes eu me sinto um fracassado igual vocês
mas as estrelas marginais, os pretos agem como reis
burguer king, mais patrícios, brechózinho e os flash day
pela familía, pela cultura
pra ver se balanço umas bundas e faço algum dinheiro
ninguém é maneiro nessa porra
eu não vou ser o primeiro
cês querem que nós que mude o mundo, se você não muda
e o meu problema é ver demais com meu genkai hyuga
mas eu tô mais pra k!ller bee, arrogante negro
cês quer fingir que são o mais rua do brasil inteiro
ainda toma esporro da mãe porque furou a bermuda

[verso 4: damáfia]
vultos correndo em direção a paz
o caos é o cais que ancoramos
quando barulho da esperança é o grito de guerra
quando o medo e o desespero faíscam na terra
eu toco as folhas, elas pegam fogo, sim
pra ser sincero eu cuspo fogo nelas
adestro monstro tipo um pedagogo, e
canetas rezam pra que eu toque nelas
me manifesto pondo fogo, tipo hefésto
o que me resta é queimar o resto e fazer festa
ninguém me contesta, tipo a besta do ano biss+xto
eu mato a mais, potestade o caos da tempestade
revela sinais, encerro a marra na terra
quem mostra as garras, levam guerras
enterro os ou até amarras, mero teor que os desespera
disparo prata contra a fera, fora o que te fere
confere e que se ferre, quero euforia
jobs rest in peace, f+ck the police
o que foi que eu disse? como se eu mentisse
ou atirasse
entrelize que com campos elíseos
as ruas como exílio
pra riscar, o que contra nós se virasse

[saída: damáfia]
pra riscar, o que contra nós se virasse
pra riscar, pra riscar
o que contra nós se virasse

8 0 8 luke