azlyrics.biz
a b c d e f g h i j k l m n o p q r s t u v w x y z 0 1 2 3 4 5 6 7 8 9 #

c57 x rizz – a queda lyrics

Loading...

até agora tudo bem… bem, dentro do possível
as coisas vão andando mais ou menos por aqui
a verdade é ninguém tem a fórmula infalível:
cada um no seu percurso, tens de caminhar por ti

até agora tudo bem, então diz-me: o que é que falta?
mantém a cabeça alta porque a queda é certa
e não há alguém que ensine, porque aquilo que a define
é contar que ela aconteça e ficar à alerta
pois se os dias te afligem, tenta encontrar a origem
tenta enfrentar a vertigem se ela te desperta
considera o que mereces enquanto te fortaleces
e se tu não te conheces: parte à descoberta
quando a alma pede “muda” há que aceitar a oferta
mantendo o horizonte em vista e a mente aberta
tu tenta expandir o espírito se a rua aperta
é -ssim que se organiza e que ele se conserta
e se o rap te liberta levanta a moral e rima
mantém o queixo pra cima, que eles odeiam isso
pois criticaram e quiseram fazer uma obra prima
mas a vida que pintaram não p-ssa de um esquisso
e na revolta que apontaram, eles nunca consideraram
se o caminho que tomaram era exemplar
só se queixaram, na verdade nem sequer se importaram
não pensaram “ás vezes faz falta contemplar”
com calma tudo melhora, pois é de dentro pra fora
que o receio vai embora e o mundo vai mudando
ignora quem não colabora e nutre aquilo que explora
num meio medíocre a qualidade é contrabando

até agora tudo bem… bem, dentro do possível
as coisas vão andando mais ou menos por aqui
a verdade é ninguém tem a fórmula infalível:
cada um no seu percurso, tens de caminhar por ti

até agora tudo bem, pelo menos por enquanto
sem ceder ao desencanto, porque ele não perdoa
sabendo que a queda vem, faz da esperança refém
porém é a desconfiança que nos atraiçoa
numa existência sonolenta, o sentimento atormenta
mas no fim lamenta: o coração não se afeiçoa
e bem mais do que aparenta, a viagem é torbulenta
mas aguenta enquanto a imperfeição se aperfeiçoa
e aprende que ao viver de noite o dia atordoa
que no silêncio solitário a magia se escoa
insensíveis à beleza, a apatia magoa
habituados à tristeza, a alegria destoa
então antes que te corroa, levanta os braços e luta
concentra-te, reagrupa e segue o teu instinto
para que mundo veja quando se desleixa na conduta
pois se o cerco fecha salta fora do recinto
porque o segredo é cultivar um espírito faminto
não ser demasiado extenso nem muito sucinto
não perder quem és mesmo num ambiente indistinto
saber manter os olhos no sonho e o carácter limpo
pois se o discurso é contido, mesmo de orgulho ferido
já que o destino é esculpido, há sempre algo a fazer
e podes apanhar a manha às mudanças que ele acompanha:
a estrada tem uma estranha forma de surpreender

até agora tudo bem… bem, dentro do possível
as coisas vão andando mais ou menos por aqui
a verdade é ninguém tem a fórmula infalível:
cada um no seu percurso, tens de caminhar por ti

até agora tudo bem, então diz-me onde é que vamos
e se aquilo que esperamos é que a espera acabe
e não há alguém que explique, na hora em que a queda obrigue
a segurar o mundo para que ele não desabe
pois se os dias são batalhas, há que escalar as muralhas
saber que ao estudar as falhas, a esperança sabe:
faz parte do crescimento, nas asas do pensamento
tentar atrasar o tempo para que ele não escape
reconhecer que às vezes vais viver num mundo à parte
ter consciência que um caminho fácil é cobarde
manter a rota que importa sem que a mente derrape
tentando enganar a saudade na ponte que arde
então antes que seja tarde, levanta os olhos e tenta
na dúvida: reinventa, porque a estrada é tua
pois de p-ssagem impuseram aquilo que representa
mas quando avança a coragem, o medo recua
a desvantagem é que quando o sonho se atenua
um pouco estranho, vai ficando cada um na sua
sujeitos ao rebanho, á espera que o drama destrua
e venha dizer pa esquecer, que tudo continua
e se o receio se acentua, não permitas que te instrua
é ele que nos habitua a fugir à realidade
enfiados na trincheira, prontos a cair na asneira
de uma vida inteira vivida só a metade

até agora tudo bem… bem, dentro do possível
as coisas vão andando mais ou menos por aqui
a verdade é ninguém tem a fórmula infalível:
cada um no seu percurso, tens de caminhar por ti