azlyrics.biz
a b c d e f g h i j k l m n o p q r s t u v w x y z 0 1 2 3 4 5 6 7 8 9 #

capicua – a última lyrics

Loading...

[verso 1 – capicua]
eu cresci a ouvir zé mário
tv era a rádio
e a minha primeira rima foi à porta do infantário
meu pai sabe-a de cor como ao cesário e ao o’neill
que eu também já decorei só de ouvi-lo repetir:
“por favor, madame, tire as patas
por favor, as patas de seu cão de cima da mesa que a gerência
agradece”…
(sou) presidente da república do meu coração
com opinião política, sem organização
e é por convicção, que não louvo abstenção
tenho o dever do voto por quem fez revolução…
tenho intervenção, na rima e na atitude
para que isto mude, para que isto siga novo rumo!
a minha religião é auto-superação
não façam comparação, brilho no escuro
sou uma num milhão e tenho ambição
a missão de servir de inspiração para o futuro!
com a minha palavra, que é arma com efeito
local, afinal mudo o mundo aqui primeiro, eu não sou dos partidos
sou dos inteiros, o colectivo é activo
se o indivíduo está desperto e tudo começa no peito
com a música por perto do verso, é perfeito!

[refrão – capicua]
não tenho nicho, nem naipe, não acredito no hype, já era
odd no p-ssado, hoje mantenho o style
isto é um vício de facto, eu não resisto e ressaco
e pela rima eu desfaço qualquer obstáculo!

[verso 2 – capicua]
quero genialidade para emocionar, ter um “je ne sais quoi”
como o j.b. no “ne me quites pas”
ter capacidade de inovar sendo fiel à raiz
ao país e à cidade invicta!
eu quero mais
quero um público e ter o dom de lidar bem com o público
e sobretudo envelhecer com o meu público
eu queria um dia viajar como um músico
quero tocar e gravar num estúdio
mas quero divertir-me acima de tudo
quero poder pagar a quem trabalhar comigo
ao diego sobretudo recompensá-lo é devido
eu um dia ainda vou dividir o palco
com uma banda e era bom ter um técnico de som
e o cachet merecido…

eu sou mc eu estou-me a expor aqui
dou tudo de mim e já decidi
não vou discutir mais ou menos 20 euros
com os chulos que andam para aí
promotorzecos de merda eu pago para não ouvir
faz por ti mas respeita a tua cl-sse
se tocas de graça ou quase (tu) boicotas os teus pares
devia haver um sindicato do rap
que acautel-sse a nossa dignidade
já que isto agora é negócio
o que é nosso está no fosso, até chega a ser boicote
em festivais não é suposto
só toca banda de rock, nos phones é o oposto
putos só ouvem hip hop
dá desgosto ver que o esforço nunca chega a ter suporte!
nesta lua-de-mel da musica portuguesa
novamente em português excluem os mc’s, ou seja
quem sempre fez desta língua uma certeza
mas que nunca vês em tv’s ou imprensa!

[refrão – capicua]
não tenho nicho, nem naipe, não acredito no hype, já era
odd no p-ssado, hoje mantenho o style
isto é um vício de facto, eu não resisto e ressaco
e pela rima eu desfaço qualquer obstáculo!

[verso 3 – capicua]
a minha religião é auto-superação
não façam comparação, brilho no escuro
sou uma num milhão e tenho a ambição
a missão de servir de inspiração para o futuro
como eu ninguém faz aquilo que eu faço
aquilo de que sou capaz
aquilo em que me esforço e eu posso
posso furar a indústria
criar oportunidades a fazer a minha musica
como a diams, a debelle, a rodriguez
fazer com que chamem rap ao rap de raparigas
(mas) façam figas, há uma coisa que eu preciso
é ter o di e a m7 no mesmo barco comigo
corações ao alto no mesmo palco comigo
rotações no prato
no mesmo beat fodido!

a minha religião é auto-superação
não façam comparação, brilho no escuro
sou uma num milhão e tenho a ambição
a missão de servir de inspiração para o futuro!