azlyrics.biz
a b c d e f g h i j k l m n o p q r s t u v w x y z 0 1 2 3 4 5 6 7 8 9 #

capicua – medo do medo (they´re heading west) lyrics

Loading...

[verso 1 – capicua]
ouve o que eu te digo, vou-te contar um segredo
é muito lucrativo que o mundo tenha medo
medo da gripe, são mais uns medicamentos
vem outra estirpe reforçar os dividendos
medo da crise e do crime como já vimos no filme
medo de ti e de mim, medo dos tempos
medo que seja tarde, medo que seja cedo
e medo de -ssustar-me se me apontares o dedo
medo de cães e de insectos, medo da multidão
medo do chão e do tecto, medo da solidão
medo de andar de carro, medo do avião
medo de ficar gordo velho e sem um tostão
medo do olho da rua e do olhar do patrão
e medo de morrer mais cedo do que a prestação
medo de não ser homem e de não ser jovem
medo dos que morrem e medo do não!

medo de deus e medo da polícia
medo de não ir para o céu e medo da justiça
medo do escuro, do novo e do desconhecido
medo do caos e do povo e de ficar perdido
sozinho, sem guito e bem longe do ninho
medo do vinho, do grito e medo do vizinho
medo do fumo, do fogo, da água do mar
medo do fundo do poço, do louco e do ar
medo do medo, medo do medicamento
medo do raio, do trovão e do tormento
medo pelos meus e medo de acidentes
medo de judeus, negros, árabes, chineses
medo do “eu bem te disse”, medo de dizer tolice
medo da verdade, da cidade e do apocalipse
o medo da bancarrota e o medo do abismo
o medo de abrir a boca e do terrorismo

medo da doença, das agulhas e dos hospitais
medo de abusar, de ser chato e de pedir demais
de não sermos normais, de sermos poucos
medo dos roubos dos outros e de sermos loucos
medo da rotina e da responsabilidade
medo de ficar para tia e medo da idade
com isto compro mais cremes e ponho um alarme
com isto p-sso mais cheques e adormeço tarde
se não tomar a pastilha, se não ligar à família
se não tiver um gorila à porta de vigília
compro uma arma, agarro a mala, fecho o condomínio
olho por cima do ombro, defendo o meu domínio
protejo a propriedade que é privada e invade-me
a vontade de por grade à volta da realidade
do país e da cidade, do meu corpo e identidade
da casa e da sociedade, família e cara-metade…
tenho tanto medo… nós temos tanto medo… tenho tanto medo…

[refrão x4 – capicua]
o medo paga a farmácia, aceita a vigilância
o medo paga à máfia pela segurança
o medo teme de tudo por isso paga o seguro
por isso constrói o muro e mantém a distância!

-eles têm medo de que não tenhamos medo!